L-Leucina: O que é? Para quem serve?
  Carregando... Por favor, aguarde...
WDD SPORT - B2B - Distribuidora de Suplementos

L-Leucina

A l-leucina ou somente leucina é uma das proteínas mais importantes para aqueles que desejam ganhar massa muscular. Na verdade, a leucina é um dos 20 aminoácidos utilizados pelo nosso organismo para produzir novas proteínas. Ela faz parte do grupo dos aminácidos essenciais, ou seja, o corpo não produz sozinho e portanto é necessário adquiri-la através da alimentação.


Para que serve a L-Leucina?

A leucina é um BCAA (aminoácido de cadeia ramificada) mais abundante e é a única que consegue ser metabolizada pelo nosso corpo para a produção de energia no momento em que os músculos estão fatigando. A Leucina é um aminoácido cetogênico, ou seja, não é convertido em glicose, e sim em ácidos graxos ou corpos cetônicos através da degradação do acetil-CoA ou acetoacetato. 

A Leucina também é muito eficiente para promover a secreção de insulina, já que estimula o pâncreas a produzir esse hormônio que é altamente anabólico. Isso faz da Leucina um agente anabólico, ou seja, ajuda na manutenção da musculatura e no ganho de massa muscular. Assim, é possível compreender porque a L-Leucina é um dos aminoácidos mais consumidos pelos fisiculturistas.


Suplementação em idosos

Uma pesquisa divulgada no site do Instituto Nacional Francês de Pesquisa Agronômica conseguiu mostra os vários benefícios da suplementação com L-Leucina em indivíduos de idade mais avançada.

Acontece que, quando o ser humano completa 40 anos há uma perda do equilíbrio entre a síntese a degradação de proteínas. O corpo começa a perder massa muscular e a esse processo da-se um nome de sarcopenia. Ele é o responsável por perda de mobilidade de muitos idosos com o passar dos anos. Estima-se que essa perda seja de 0,5% a 2% por ano.


Os benefícios da L-Leucina na hipertrofia

Vários estudos vêm confirmando o efeito anabólico da L-leucina. Ela apresenta um efeito regulador, seja estimulando a construção de novas proteínas ou inibindo a destruição delas. Algumas pesquisas também mostram a capacidade que esse aminoácido tem de construir tecido muscular sem a presença de gordura nele. Além disso, vários marcadores utilizados para identificar o estresse muscular, como a degradação proteica se mostraram reduzidos quando há a suplementação de leucina.

No entanto, outros estudos mostram o lado oposto da suplementação com leucina. O aumento da dose desse aminácido na alimentação não faz efeito em indivíduos que já estejam em treino mais avançado. Por exemplo, ele mostra ganhos de força durante as primeiras quatro ou cinco semanas com consumo de 1,5 a 3 g de leucina por dia. Após isso, a sua resposta começa a declinar e os ganhos são proporcionados apenas pelo treinamento muscular.


Fonte de Leucina nos alimentos

Bem, ela pode ser facilmente encontrada em suplementos proteicos como nas cápsulas de L-Leucina pura ou mesmo nos já conhecidos BCAA que contém a cadeia ramificada com leucina, valina e isoleucina. No Whey Protein ela também pode ser identificada numa proporção menor, cerca de 10% e também na caseína e suplementos de soja com 8 g para cada 100 g do produto. Já na alimentação temos fontes fáceis como:

  • carne, branca ou vermelha;
  • leite;
  • ovos;
  • castanhas;
  • feijão;
  • trigo integral;
  • soja.

 

Efeitos colaterais e contraindicações

Ainda não foram relatados efeitos colaterais causados com o consumo recomendado da Leucina. Isso não significa que o consumo sem orientação e em excesso não possam causar efeitos indesejados. Diabéticos, gestantes, pessoas com deficiências renais ou outro tipo de enfermidade, devem consultar seu médico antes de tomar a Leucina.